siga as páginas

siga as páginas
"Vim pelo caminho difícil, / a linha que nunca termina, / a linha bate na pedra, / a pedra quebra uma esquina, / mínima linha vazia, / a linha, uma vida inteira, / palavra, palavra minha." Paulo Leminski

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Palavras Cruzadas


Não quero o verso perfeito
ou a sorte de um amor tranquilo
quero um destino audaz.
Não penso na folha seca,
nas tempestades da vida,
no vento ou na flor que cai.
Só vejo a cor das palavras,
as pedras do meu caminho,
encruzilhadas na estrada
de onde eu não saio mais.


2 comentários:

Margot disse...

Belo poema metalinguístico... cheio de poemas e poetas cruzados...rss

Parabéns!!!

Não tenho nome .... tenho dedos que se identificam no teclado disse...

Mutos cruzamentos poéticos ... massa!