siga as páginas

siga as páginas
"Vim pelo caminho difícil, / a linha que nunca termina, / a linha bate na pedra, / a pedra quebra uma esquina, / mínima linha vazia, / a linha, uma vida inteira, / palavra, palavra minha." Paulo Leminski

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

QUERER

 

Quero inventar a calma para as tempestades
quando eu me derramar
no mar caudaloso do amor infinito.
Quero fazer minhas as palavras do silêncio,
quebrar meu desespero pela metade
e engolir, com o que sou,
meu doloroso grito.
 

Um comentário:

Não tenho nome .... tenho dedos que se identificam no teclado disse...

Engolir ... e poder sentir sem ressentir que tudo é aqui, dentro de mim ... e que o universo apenas enfeita este verso interno de mim.