siga as páginas

siga as páginas
"Vim pelo caminho difícil, / a linha que nunca termina, / a linha bate na pedra, / a pedra quebra uma esquina, / mínima linha vazia, / a linha, uma vida inteira, / palavra, palavra minha." Paulo Leminski

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Pelos cantos


Escorre dos olhos
o que me turva e neblina
como uma sinfonia de espantos
do que em mim desafina

Mas não há nenhuma novidade
meu canto emudeceu.
Cada canto de mim conta a minha história.
O fim do mundo sou eu.

4 comentários:

Tatiany M disse...

Q coisa linda amigo! Tristes são os cantos emudecidos, pq ecoam na alma como doloroso grito!
Abraço.
Suylene

Jania Souza disse...

Fiquei tua fã. Grande poesia. Em meu blog há o link da Revista Biografia editada pelo grande poeta brasileiro e ativista cultural Daufen. Envie seu material para ele. Ele vai ficar muito feliz em divulgá-lo. Seu blog é maravilhoso! Obrigada pela visita no meu e pelo comentário em 2008. Só hoje foi que aprendi a ler os comentários. Abraço e muito sucesso. Jania Souza

Margot disse...

Entre dores, cores, cantos e espantos, o poeta se faz.
Eis (és) então uma poetisa!

Thiago Gonzaga disse...

vc continua escrevendo ?
gostei dos escritos
abracos